Voltar 

A construção do Teleférico

 
O poder político ficou sensibilizado, a população do concelho em geral, manifestou regozijo e interesse e o povo de Vila da Ponte não deixava transparecer a quem quer que fosse a alegria e o orgulho de serem possuidores dum teleférico na sua aldeia.
Em 2003 foi a provado a realização de tal obra em reunião de câmara com aprovação de toda a assembleia municipal.
A câmara municipal dispôs de 10% do valor orçamentado, 60% vieram a fundo perdido pelo Ministério do Turismo através dos apoios da Comunidade Europeia e o restante seria por empréstimo bancário a pagar em 20 anos e com os lucros do teleférico. O prazo de entrega da obra foi de 400 dias e cumpridos, e a adjudicação do trabalho foi a uma construtora Suiça com representação em Portugal, e que no seu curriculum constam já o teleférico da Expo98 e o teleférico de Braga.

A obra está pronta desde 15 de Julho de 2005, encontra-se retoques e afinações finais, e já se podem ver os teleféricos de quando em quando a percorrer a sua linha, mas só em 15 de Agosto abrirá oficialmente ao público
O roteiro do teleférico possuía 3 opções, saindo sempre perto da zona do recinto de Nossa Senhora das Necessidades.
Ou vinha descer à zona do Beira-Rio, cuja paisagem não é das mais atractivas, ou então descia na vertical, encontrando-se na zona do cruzamento da estrada que dá acesso à Senhora das Necessidades, ou finalmente, e a proposta mais atractiva, desce até à zona da Padaria Nova, onde a paisagem é sem dúvida a mais atractiva, pois é possível observar toda a albufeira do Távora e aldeias circundantes, e além disso, aproveitando a estrada velha efectua-se um parque de estacionamento automóvel (quase logo em frente à porta de entrada do recinto do teleférico.

O início da obra demorou alguns meses, visto que após as aprovações já atrás descritas, vários pró-formas foram necessários e obrigatórios:
Licença ambiental do Ministério do ambiente e ordenamento territorial, sendo para tal necessário entre outros requisitos o estudo de impacto ambiental da obra.

Os cabos de aço que vão sustentar os teleféricos vieram da Suiça conforme podemos observar na figura superior.

A estação do vale, ou da base conforme lhe queiramos chamar, e que podemos observar à direita foi construída em simultâneo com a estação, apelidada de Montanha, que podemos ver mais abaixo à esquerda, e que corresponde à estação da Nossa Senhora das Necessidades.

Em baixo à direita é possível ver algum arsenal de peças desde rolamentos a vigas que vão dar vida e corpo à bonita obra em execução.
 

  Voltar