Voltar 

 A pesca no Távora

   
Neste encantador concelho. onde podemos considerar o interior ainda selvagem, e onde o olhar se perde entre o azul do céu e o verde das seranias cabe especial destaque à sua riqueza botânica e faunística.

À riqueza botânica que nalguns locais aínda se identifica a velha e grandiosa flora indígena, já anterior ao pinheiro, que são os altos carvalhos e velhos castanheiros, com um encanto próprio a cada estação do ano, corresponde uma não menos rica fauna quer de aves quer de mamíferos (para apenas citar estes dois grupos).
De facto, espécies como o tordo, perdiz, codorniz, rola, a lebre, coelho-bravo, e o javali, são relativamente abundantes neste território de Sernancelhe e atraem, nas épocas devidas, caçadores. 

Beneficiando do baixo índice de poluição existente, a fauna piscícola apresenta também grande importância. A pesca desportiva, que pode ser praticada nos afluentes do Távora e barragem do concelho, é rica nas seguintes espécies: em achigã, carpa, barbo, boga, etc...

A Barragem do Vilar, é bastante procurada pelos apreciadores da pesca, não só pela abundância das espécies mas, também devido à proximidade de vários parques, alguns explorados pela margem esquerda, permitindo-se desta forma que, locais e visitantes, possam usufruir de tudo o que necessitam para passar um belo dia ou um bom Domingo

A albufeira do Távora termina em Vila da Ponte, aldeia conhecida há muito pela sua riqueza piscícola, pois é nesta zona onde a albufeira dá lugar à corrente do Távora que os peixes afluem mais, sobretudo na época da desova.

O povo de Vila da Ponte sempre foi um a ficcionado do peixe, antigamente fonte de  alimentos para muitos, e hoje iguaria dos restaurantes locais que confeccionam o pescado para petiscos e alimentos dos apreciadores.
À Vila da Ponte na época de "subida do peixe", acolhem muitos viciados pela pesca de todos os territórios da vizinhança.
 

  Voltar