Voltar 

 Linha Férrea Entre-Douro e Beira

História


Foi dada autorização à Companhia Francesa de Construção e Exploração de Caminhos-de-ferro, pelo então ministro do reino, com garantias de juro do capital empregado, se a sua exploração não fosse rentável.

Esta Companhia iniciou os trabalhos em 1905, altura em que a linha do Douro e a linha da Beira Alta estavam concluídas, e se delineavam então os ramais a elas afluentes.
A inauguração oficial do troço entre Régua e Lamego foi em 1908, com a comparência de D. Manuel II.
Iniciou-se então a exploração até à estação de Mondim da Beira em 1910; de Mondim da Beira até Moimenta da Beira, via Salzedas em 1912; de Moimenta da Beira a Ponte do Abade em 1913, via Arcozelos, Faia e Vila da Ponte; de Ponte do Abade a Trancoso em 1915; e de Trancoso a Celorico da Beira em 1916, via Chafariz dos Ventos e Frexes.
A extensão total da via-férrea é de 120 Kms.
Foi sem dúvida, o melhoramento mais imponente concedido a esta região,melhoramento de que há

muito  necessitava, devido às transacções dos produtos agrícolas, o desenvolvimento da indústria e comércio.
Antes da construção do caminho de ferro, o transporte de mercadorias da zona da Régua, Lamego, Moimenta, Sernancelhe, Trancoso e outras localidade, era feito pela obsoleta estrada Régua-Lamego-Guarda, aínda não alcatroada, cheia de irregularidades e deteriorações, muitas curvas, não chegando por vezes um dia para a transpor: verdadeiro entrave ao desenvolvimento e circulação nestas zonas interiores.

  Voltar