Voltar à página principal

Sernancelhe é conhecida a nível nacional como a Capital da Castanha, dada a sua importância económica, cultural e social na vida do concelho.

A castanha que aqui nasce é considerada a melhor do mundo, e uma boa parte da sua produção destina-se à exportação, sendo, por isso, uma importante fonte de rendimento regional.

No mês de Outubro, o fruto que é já “ex-libris” do concelho, e tem direito a uma festa, cujo programa engloba palestras, concurso de melhor castanha, música, stands de exposição, entre outras actividades.

Soutos da Lapa

Sernancelhe a Capital da Castanha                                                        
José Mattoso referencia o facto de esta castanha ter servido para pagamentos de rendas no século XIII (segundo R. Duran). Aquilino Ribeiro , referindo-se ao castanheiro, diz: “(...) trezentos anos a crescer, trezentos anos em seu ser, outros trezentos em morrer”.

A tradição oral é muito rica no que se refere à castanha, sob a forma de ditados ou de adivinhas. Poir exemplo: No dia de S. Julião quem não assar um magusto não é cristão”, “Pelo S. Martinho castanhas e vinho”, Alto está, alto mora.
Em abrindo a boca logo chora” e “Sete castanhas são um palmo de mão”......................................................................................,,,,,,,,,,,,,,,,,......

 

Denominação de origem e área geográfica
                O Castanheiro

                            O Castanheiro - características
                                               Confecção alimentar da castanha
   


«Duas castanhas assadas, doiradas a rir-se dos sorumbáticos e dietéticos, com o seu copázio, e não era preciso outro hífen para os dois.»

Aquilino Ribeiro (O Arcanjo Negro)

 Voltar à página principal